sexta-feira, 27 de maio de 2011

Receita: Caldo de Sururu


Ingredientes:
1 kg sururu
1 frasco pequeno de leite de côco
½ kg batata do reino
2 cenouras
2 cebolas
2 tomates
1 pimentão
4 dentes de alho
½ xícara de azeite de oliva
1 xícara de pó de camarão
2 colhes de sopa extrato de tomate

Modo de fazer
1. Lave o sururu , escorra, coloque na água com limão por 20 minutos, escorra novamente e
leve ao fogo com água e sal.
2. Cozinhe as verduras e bata no liquidificador.
3. Bata os temperos no liquidificador e recheei no azeite com o extrato de tomate.
4. Bata no liquidificador a metade do sururu, o pó de camarão e o leite de côco.
5. Junte tudo e coloque a outra parte do sururu e leve ao fogo, corrija o sal.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Lombo de Bacalhau Dessalgado


Esqueça deixar o bacalhau de molho! Uma limitação para o consumo do bacalhau no dia a dia sempre foi o fato de que precisava ser programado com antecedência, já que podia exigir até 48 horas de molho para hidratar e tirar o sal excessivo.

O bacalhau dessalgado abrevia o tempo de hidratação e o trabalho de ficar trocando a água para retirar o sal. As postas dessalgadas são indicadas a qualquer tipo de preparo - basta descongelar. E são ideais para assar, grelhar ou cozinhar.




Na Camarão Vermelho você encontra o Lombo de Bacalhau dessalgado da Bomporto de 1Kg. Peças de excelentíssima qualidade, boa altura e de sabor inigualável.


Não sabe como preparar o Lombo de bacalhau dessalgado? Veja aqui a Receita: Lombo de bacalhau dessalgado

Conhecendo um pouco mais sobre o Camarão


Existem na natureza inúmeras espécies de camarões comerciais.

Os camarões mais comumente encontrados e pescados em todo litoral brasileiro são: camarão rosacamarão brancocamarão pistola camarão sete barbas, todos subespécies do Penaeus spp.


O camarão cinza ou litopenaeus vannamei ou simplesmente Vannamei, originário do oceano Pacífico, aqui no Brasil é cultivado em viveiros de água salgada (fazendas de camarão), principalmente nos estados do Nordeste (RN, CE, PE, PB e BA). Esta é a espécie mais comumente produzida e processada pela Indústria Alimentícia. O vocábulo “cinza” refere-se à cor do camarão cru, uma vez que cozido, ele adquire a cor vermelha.

Obs.: A expressão spp. após o nome do gênero representa que o mesmo possui diversas espécies.

Outras matérias sobre camarão
- Camarão de Maricultura x Camarão de Pesca
O Camarão Fresco é realmente fresco?

O Camarão Fresco é realmente fresco?

O mercado denomina o camarão conservado no gelo de “camarão fresco”, mesmo que já tenha se passado alguns dias desde a sua pesca.

Em cidades não litorâneas, os camarões são deste tipo. Após a pesca, o camarão é colocado no gelo para viagem e, de cidade em cidade o camarão, tido como "fresco", vai absorvendo a água, podendo ter aumento de 30% ou mais no seu peso.

No gelo ele deveria ser conservado por no máximo 5 dias, sendo que muitos ambulantes sem escrúpulos passam desse período. A comercialização feita desta forma põe em risco a saúde do consumidor, pois são produtos sem fiscalização sanitária, freqüentemente sem documentação fiscal e pescados sem preocupação ambiental, muitas vezes desrespeitando os períodos de reprodução das espécies.

A venda de camarão fresco é também um problema de saúde pública, pois sendo o camarão um alimento que requer cozimento rápido (3 minutos em média), este tempo é insuficiente para eliminar doenças que porventura venham com a água que ele absorve (tifo, disenteria , etc). 

As principais diferenças entre o camarão congelado e o camarão fresco são listadas logo abaixo:

Camarão conservado no gelo (fresco)
- O camarão fresco normalmente possui elevado teor de água. O cliente estará pagando água pelo preço do camarão.
- O camarão fresco dura somente 5 dias, após o qual começa a se deteriorar.
- O camarão fresco, quando cozido, reduz muito o seu tamanho (perde a água que foi incorporada).
- Juntamente com a água perdida no cozimento, vai o sabor.

O camarão congelado
- O camarão congelado não possui água incorporada.
- O camarão congelado, quando mantido a –18º C, dura mais de 1 ano sem perder nenhuma de suas características e qualidade.
- O camarão, quando não tem água incorporada, possui um sabor inigualável e pouco reduz de tamanho, se cozido corretamente.
- Uma vez descongelado, o camarão deve readquirir todas as características do camarão fresco, como se ele tivesse sido pescado há cerca de 3 horas.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Camarão de Maricultura x Camarão de Pesca

O camarão é um animal com características bastante peculiares: uma vez pescado e morto ele começa a absorver água, aumentando seu peso. Por este motivo é necessário congela-lo o mais rapidamente possível, para garantir a qualidade do produto.

Os camarões de pesca (rosa, branco, pistola ou sete barbas), normalmente são mantidos em gelo nos barcos e logo depois vão para os centros urbanos ainda nesse tipo de conserva. Dessa forma, eles vão absorvendo a água, podendo chegar a ter aumento de 30% ou mais no seu peso.

Já os camarões de Maricultura (cinzas), cultivados nas fazendas passam por um rígido controle de qualidade e inspeção, garantindo, entre outras coisas, que o camarão não ultrapasse 3% de água. Logo depois da despesca (*) os camarões são desinfetados e abatidos seguindo imediatamente para resfriamentocongelamento ou pré-cozimento/salga/defumação

Desinfecção
O cloro é um potente desinfetante com poder oxidante. Nesta etapa de beneficiamento, os camarões recebem uma lavagem com água clorada de concentração mais elevada do que a habitual, em torno de 5 ppm ou mais, por aproximadamente três minutos, tendo em vista eliminar microrganismos como Vibrio cholerae (causador da cólera), Coliformes, Salmonella, entre outros.

Abate
O mesmo procedimento da desinfecção deverá ser realizado com os camarões na técnica de abate, através da imersão dos recipientes vazados, em água contendo bastante gelo picado, de tal forma a manter a temperatura entre 20ºC e 30ºC. Após, aproximadamente, três minutos de imersão, os camarões estarão mortos por choque térmico e prontos para serem comercializados frescos ou processados através de técnicas de congelamento, pré-cozimento, etc.

(*) O termo despesca é utilizado, na aqüicultura, para definir a operação de retirada do organismo cultivado do viveiro quando este o tamanho comercial.


O camarão que você compra na rua é realmente fresco? Saiba mais aqui

segunda-feira, 9 de maio de 2011

A Carapaça da Lagosta

A lagosta vive tranqüilamente no fundo do mar, protegida pela sua carapaça dura e resistente. Mas, dentro da carapaça, a lagosta continua a crescer. Ao final de um ano, sua casa fica pequena e ela tem de enfrentar um grande dilema: ou permanece dentro da carapaça e morre sufocada ou arrisca sair de lá, abandonando-a, até que seu organismo crie uma nova carapaça de proteção, de tamanho maior, que lhe servirá de couraça por mais um ano.

Vagando no mar, sem a carapaça, a lagosta fica vulnerável aos muitos predadores que se alimentam dela. Mesmo assim, ela sempre prefere sair. Dentro da carapaça, que se transformou em prisão, ela não tem nenhuma chance. Fora, sim. Também nós, muitas vezes, ao longo da vida, ficamos prisioneiros de várias carapaças: os hábitos repetitivos, os condicionamentos alienantes, as situações às quais nos acomodamos mas que, exauridas e desgastadas, nada mais têm para nos oferecer. E acabamos, por falta de coragem de mudar, nos acostumando ao tédio de uma vida monótona que, fatalmente, como a velha carapaça da lagosta, acabará por nos sufocar.

Façamos como a lagosta: troquemos a velha e apertada carapaça por uma nova. Mesmo sabendo que, por algum tempo, estaremos desprotegidos ao enfrentar uma nova situação. Largar o velho e abraçar o novo é, muitas vezes, a única possibilidade de sobreviver por mais um ano. Até que cresçamos ainda mais e, novamente, tenhamos de mudar de carapaça.


Texto de Luis Pellegrini